Curiosidades

Você pode identificar um psicopata?

Em torno de 0,6% a 4% da população apresenta traços psicopatas, um transtorno de personalidade que afeta os homens com mais freqüência do que as mulheres.
O professor Robert Hare, psicólogo criminal, criou a PCL-R, uma avaliação psicológica capaz de determinar se alguém é um psicopata. Para isso, trabalhou durante décadas a estudar pessoas com psicopatia.

O cérebro das pessoas psicopatas são diferentes para os saudáveis, apresentam um córtex pré-frontal, a parte que regula o comportamento, o controle de impulsos e planejamento e uma amígdala deformados.
“Um psicopata vê o mundo de uma maneira muito diferente. São como os daltónicos, que tentam entender o vermelho, mas neste caso, em vez de uma cor, são as emoções de outras pessoas”, afirma o professor.
Características para identificar um psicopata
Sua lista contém 20 critérios a que se lhes pode atribuir uma pontuação de 0 (se não se aplica à pessoa), 1 (se aplicável parcialmente) ou 2 (se aplicável plenamente). Revemos alguns dos mais importantes:
Não têm medo, nem receio – Um dos traços identificativos dos psicopatas é que eles não sentem medo, nem culpa, nem ansiedade. Em outras palavras, não têm consciência, nem se importam com as conseqüências sociais de suas ações, mas sabem que existem.
Falta de empatia – Os psicopatas não são seres empáticos, não são capazes de se colocar no lugar do outro, de ter em conta as suas emoções, só pensam em si mesmos.
Esconde sua verdadeira cara – Geralmente são pessoas encantadoras, extrovertidas, com muito carisma, seguras de si mesmas e muito sociáveis. É Por isso que sempre saúdam.
Impulsivos – Simplesmente fazem o que lhes apetece, quando querem, sem pensar nas consequências ou se está bem ou mal.
Se cansar com facilidade, Têm uma certa tendência ao tédio que leva, em alguns casos, a atividades criminosas, bem como entrar em brigas ou dirigir bêbados para obter estímulos.

Irresponsável– Têm a sensação de que não precisam prestar contas a ninguém, por exemplo, se não gosta, não estão a trabalhar.
Manipuladores – Sempre sabem o que têm que dizer ou o que fazer para conseguir o que querem.
Mentirosos patológicos – Usam a mentira como arma essencial para alcançar seus objetivos e justificar suas ações.
Elevada auto-estima – Se acham melhores que o resto da população e, por isso, sentem-se com direito sobre eles.
Grandes oradores – Possuem a habilidade de oratória e podem te convencer de praticamente qualquer coisa.
Frívolas e superficiais – Os psicopatas não sentem emoções, mas podem simularlas, se necessário.
Não aceitam seus erros – São incapazes de aceitar seus erros, a culpa é sempre dos outros.
Falta de metas realistas – Não se colocam sua vida a longo prazo, pelo que não se impõem metas.
Promiscuous – Costumam ter relações breves e mantidas simultaneamente. Gostam de se gabar de suas conquistas.
Não se comprometem – Fogem dos compromissos sentimentais e se casam seus casamentos são de curta duração.
Além disso, os psicopatas tendem a fazer crime, durante a juventude e têm problemas de comportamento desde a infância.
Diferentes graus de psicopatia
Mas quando pensamos em psicopata diretamente nos imaginamos um assassino em série, o certo é que a grande maioria não se acabam se tornando criminosos, mas não possuem nenhum tipo de empatia, nem apreço pelos outros.

Quando uma pessoa decide realizar uma ação que sabe que vai ter consequências negativas para uma grande quantidade de pessoas e não se importa, nem sente remorso de qualquer tipo, certamente estamos diante de um psicopata.
“Muitas pessoas na população têm altos níveis de psicopatia, mas não todos eles se tornam criminosos. De fato, muitos deles, devido à sua labia e encanto e a vontade de passar por cima das pessoas no seu caminho, chegar a ser muito bem-sucedidos. Tornam-Se diretores, executivos, atletas profissionais, soldados… Essas pessoas são admiradas por seu valor, suas habilidades de comunicação e a sua vontade de esmagar todos os obstáculos em seu caminho. Basta ter a psicopatia não nos diz que uma pessoa está cometendo um crime”, aponta o professor.
Você já se identificou com algum dos traços? Ou você conhece alguém que sim se encaixa? Ah, avise-nos nas redes sociais!