Curiosidades

Você não tem mais desculpas jantar tarde? Descubra por que não é bom

Você não tem mais desculpas jantar tarde? Descubra por que não é bom
Ter horários para comer é importante, não dizemos que necessário ou sim comer a determinada hora todos os dias, mesmo se você não está com fome, isso não é o correto, mas sim que deve haver um intervalo de horas que não devem variar muito em sua vida cotidiana, pois os ritmos anormais na alimentação afetam todo o teu corpo e em especial a sua pele.

Você sabia que jantar tarde e alterar os horários de refeição podem aumentar a possibilidade de ter câncer de pele? Isso por que pode afetar 10% dos genes da pele, além disso, favorece o aparecimento do envelhecimento prematuro.

Nossa pele contém uma enzima que ajuda a nos proteger dos efeitos nocivos do sol, em específico de sua radiação. Esta enzima é afetada se o relógio de nossa pele se altera, então, se você gosta de tomar sol, ou se em sua rotina diária que exponerte muito a ele, é bom que reconsideres manter os horários de refeições regulares.
O Dr. Joseph S. Takahashi, neurocientista do Centro Médico Southwestern, da Universidade do Texas, afirma que a nossa pele muda bastante de acordo com o que comemos e quando comemos, mais do que se sabia… mas talvez já tenha comprovado isto por ti mesmo, por exemplo, quando depois de uma refeição muito gordurosa aparecem as terríveis espinhas no rosto ou como esta se torna mais áspera e seca, se não toma água suficiente.

O estudo foi realizado com ratos, aos quais se lhes mudou o horário de refeição drasticamente, isso afetou a enzima xeroderma pigmentoso grupo A, conhecida como XPA, que se encarrega de reparar a pele danificada pelos raios UV.
Os ratos que continuavam comendo normalmente não são afetados como os do primeiro grupo, já que os ciclos de XPA não mudaram.
Faltam ainda muitos estudos sobre como jantar tarde e fora de horários nos afeta, mas sim, é certo que nosso organismo funciona de acordo com regras naturais, que devemos aprender a compreender melhor. O experimento em ratos pode não ser tão fácil de traduzir para os seres humanos, mas mostra a relação que existe entre a alimentação e a pele, o que pode dar muitas pistas sobre o tema.