Curiosidades

Pitágoras, o grande Mago

Pitágoras, o Mago
A figura de Pitágoras é, em muitos sentidos enigmática, já que os primeiros escritos em que se detalham dados sobre esta importante personalidade do pensamento humano, são escritos entre 150 e 250 anos depois de ter falecido. Estes baseiam-se na transmissão oral e presentes grandes diferenças de uns para outros autores, uma vez que durante esses anos, forjaram muitas lendas e mitos sobre ele.

Sua doutrina, o pitagorismo, desenvolveu-se em uma sociedade hermética que praticava o sigilo, que são dirigidos por símbolos de caráter místico e que tinha costumes esotéricas. Acredita-Se que Pitágoras viveu entre 569 e 475 para.C. Na Grécia do período pré-helênica foi considerado um mago. Acredita-Se que adquiriu seus conhecimentos viajando pelo Mediterrâneo, e mais além, para aprender as diferentes culturas diretamente. Pensa-Se que pode visitar o Egito, Babilônia, Arábia, Fenícia e é mesmo possível que eu fosse para a Índia.
A Irmandade Pitagórica admitia tanto homens como mulheres e consideravam que suas realizações eram comuns, por isso que, possivelmente, muitas das conquistas atribuídas a Pitágoras podem ser de qualquer um dos membros do grupo. Colaboraram de forma relevante para o desenvolvimento da astronomia, da medicina, das ciências naturais e da matemática. Esta irmandade foi atacada no ano de 460 a.C. seus lugares de encontro saqueados e queimados, sendo a sede de Crotona, a chamada “casa de Milo” a mais afetada, já que nela foram assassinados mais de 50 pitagóricos.

A Pitágoras lhe atribuíram poderes mágicos, que se acreditavam havia adquirido em suas viagens de aprendizagem. Entre os atos mágicos que se lhe atribuem encontramos alguns muito curiosos:
– O dom da ubiqüidade, já que foi visto na mesma hora em duas cidades diferentes.
– Domínio dos animais, já que se atribui a ele o ter acariciado uma águia branca ou ter conduzido uma serpente venenosa até os arredores de uma cidade.
– Dizia-Se que a sua passagem para o rio o acenava dizendo: “Salve, Pitágoras!”.
– Tinha o dom da profecia. Previu que, se encontraria um homem morto em um barco antes que este chegasse à porta.

Além disso, Pitágoras acreditava no poder dos números e cita como sua a frase “Os números governam todas as coisas”, ele acreditava que os números tinham alma e, portanto, eram mágicos. Através da magia dos números se podia incidir sobre as coisas. A fama de Pitágoras como um homem divino, capaz de controlar os animais e transcender o tempo e o espaço, se acrescentasse na época de Aristóteles, que o considerou como um ser abençoado pelos deuses.
Se você tem interesse neste artigo, talvez você queira conhecer outro famoso mago lendo o post: