Curiosidades

Os museus mais estranhos do mundo! (Ásia)

O Museu dos sanitários (Nova Deli, Índia)
Se em Portugal está o Museu do penico, a Índia conta com o Sulabh, o Museu dos sanitários, que esconde uma história curiosa. Suas origens estão em uma ONG que queria melhorar as condições sanitárias na Índia. Seu fundador, Bindeshwar Pathak, recebeu o primeiro vaso sanitário como um presente, e a partir daí começou a coleccionar todos os médicos estranhos com que se cruzava. Além do testemunho de copos-de-banho que remontam há mais de 4.000 anos, o Sulabh quer educar para que se resolvam os problemas relacionados com a higiene.
Museu de Criaturas Monstruosas (Japão)
No Gensoy Hyouhon Hakubutsukan nipónico, encontraremos uma exposição protagonizada por demônios, monstros, dragões e outras criaturas assustadoras. Apesar de serem feitos de papel, bambu ou massa de modelar, seu realismo é incrível. Se você deseja visitar este museu não é preciso viajar até o país do sol nascente, pode-se visitar on-line.

Para que se faça uma ideia do que pode encontrar no museu, deixamos um vídeo com alguma de suas criaturas.
Museu dos Parasitas (Tóquio, Japão)
Esses sim que são de verdade. O único museu do mundo dedicado aos parasitas está na capital japonesa, e nele encontraremos cerca de 300 espécies de parasitas que somam 45.000 exemplares.

O dr. Satoru Kamegai o fundou em 1953, o seu objetivo é investigar e educar sobre os parasitas e seus fundos contam com milhares de documentos e livros especializados sobre parasitas.
Museu do Lamen (Yokohama, Japão)
A famosa sopa de macarrão é um alimento essencial para entender a cultura japonesa, assim que não deve extrañarnos a existência de um museu dedicado ao ramen. É ambientado no ano 33 da era Showa, o Japão de 1959, quando se inventaram estes macarrão instantâneo, e o museu exibe os utensílios que foram utilizados ao longo da história para a sua elaboração ou as diferentes variedades de ramen que há. Como não podia ser de outra maneira, as franquias de ramen mais famosas oferecem ramen fresco para os visitantes do museu.
Museu da água da torneira (Pequim, China)
A todos que nos ensinaram na escola que a água é incolor, insabora e inolora, assim que o último que imaginamos é um museu dedicado ao elemento líquido. No entanto, o encontramos na China, onde mais de 130 itens celebrar a importância da água para a vida. Um dos aspectos mais curiosos é a rejeição que gerou a torneira ao princípio entre os chineses, que consideravam a água que saía como do estrangeiro.