Curiosidades

Os conselhos que Einstein deu a seu filho sobre o processo de aprendizagem

Na correspondência do gênio com sua família, foi encontrada uma carta onde escreveu conselhos a seu filho e, o que é evidência de que suas habilidades iam mais além da ciência. O trabalho de Einstein é também conhecido por sua influência na filosofia da ciência.
Estes são os conselhos que Einstein dava a seu filho para melhorar o seu processo de aprendizagem
De acordo com o prémio Nobel Richard Feynman, o verdadeiro selo distintivo do gênio é a capacidade de explicar as coisas de uma forma simples. É assim, sob esta premissa, podemos corroborar os dons de Albert Einstein.
Em 1915, Einstein vivia em Berlim e trabalhava em sua teoria da relatividade geral, enquanto sua esposa, formava com os seus dois filhos em Viena.
Vivendo durante a época em que os telefones celulares e o Skype não eram uma opção, esta distância pode significar uma grande lacuna nas relações familiares. Para compensar, o vencedor do Prêmio Nobel de Física de 1921, optaba por trocar regularmente cartas com sua família.
Esta correspondência, destaca-se uma carta que o físico lhe dirigiu a seu filho Hans Albert Einstein, quando este tinha 11 anos. Nesta curta nota, evidencia-se a faceta de Einstein como um pai dedicado e, além disso, também ilustra o ponto de Feynman: os gênios não falam em quebra-cabeças, mas em uma linguagem muito clara.
Neste caso, Einstein utiliza esta simplicidade contundente para oferecer ao jovem Hans Albert, um conselho muito bom sobre como aprender mais rapidamente:
“Estou muito feliz que você encontre alegria no piano. Isso e a carpintaria são, na minha opinião, as melhores atividades para um jovem de sua idade, melhor até do que a escola. Porque estas são as coisas que lhe convém muito para um jovem como tu. Toca principalmente as peças de piano que se plazcan, mesmo se o professor não lhe atribui. Essa é a maneira de aprender mais, porQue quando você está fazendo algo com tal prazer, que não se dá conta de que o tempo passa. Às vezes estou tão envolvido com o meu trabalho que eu esqueço a refeição do meio-dia. . . “, escreveu.
Como era de se esperar, Einstein tinha muita razão em dizer que a paixão, o prazer e o riso são as melhores dicas de estudo que as sugestões mais comuns que recebemos na escola, um fato que foi comprovado por vários estudos. Ao fim e ao cabo, quando se sente paixão as horas que dedicamos se passam voando e são realmente produtivas.
O que lhe pareceu dos conselhos de Einstein para o seu filho?
Descubra:
– A incrível mulher que Einstein chamou de “gênio”: Emmy Noether