Curiosidades

O terrível Síndrome de Münchhausen por poder: ficar doente para os teus

O que pudemos ver em séries de tv dedicados ao mundo da medicina, mas muitos profissionais têm dúvidas de que realmente exista. Gosto a conhecer em que consiste o terrível Síndrome de Münchhausen por poder.
O terrível Síndrome de Münchhausen por poder: ficar doente para os teus
A síndrome de Münchhausen é um transtorno mental em que o indivíduo que sofre se autolesiona ou doente, real ou ficticiamente, para conseguir uma atenção por parte de terceiras pessoas. A síndrome de Münchhausen por poder é definido como aquele em que uma pessoa, que é geralmente o cônjuge ou o cuidador, produz, exagera ou induz problemas de saúde, físicos ou mentais, para aquelas pessoas que estão a seu cargo, com a finalidade única de obter a atenção e simpatia dos outros. A diferença com a síndrome de Münchhausen é que o chamado”poder”, sempre implica a outra.

A maioria dos casos em que se acreditou detectar envolveram uma mãe e seus filhos, de tal maneira que o setor da comunidade médica, que acredita que esta síndrome é real, considerada uma forma de abuso infantil muito grave que pode levar à morte. Considera-Se que a taxa de mortalidade entre as vítimas da síndrome de Münchhausen por poder está entre 6% e 10%, o que leva os especialistas a considerar a forma mais letal de abuso. O cuidador, falsifica ou produz sintomas, manipula os resultados do laboratório e até mesmo é capaz de causar danos à criança ou pessoa a seu cargo. Podem envenenar, asfixiar, causar infecções ou machucar fisicamente a vítima para alcançar o seu objetivo.

O setor médico que não acredita na existência dessa síndrome apoia-se na dificuldade para fazer um diagnóstico e que, maioritariamente, este baseia-se em apreciações pessoais. Um dos médicos que identificou a síndrome, Samuel Roy Meadow, atuou como perito em vários casos em que, a posteriori, verificou-se que havia falsificado os dados. Meadow perdeu sua licença para exercer a função de médico por ele, mas sua atuação é utilizada como argumento pelos detratores da síndrome.

Para diagnosticar a síndrome de Münchhausen, por procuração, estuda-se tanto para a família como para o doente. Entre muitos dos sinais que podem ajudar a detectá-lo, os médicos destacam-se:
– Crianças que têm mais de um problema médico e que não respondem ao tratamento ou seguem um curso totalmente incomum que persiste e é inexplicável.
– O resultado das explorações físicas ou do laboratório são discrepantes ou não concordam com a história clínica do paciente.
– Pai muito atencioso com as questões de saúde e que parece saber muito e que está confortável no ambiente hospitalar. Normalmente é colaborador, mas, às vezes, exige mais intervenção e procedimentos mais sofisticados sem razão.
– Mãe, não se desvia de seu filho e, no entanto, não sofre, se este se agrava, apresentando uma calma incomum diante das dificuldades.
– Uma história familiar com doenças inexplicáveis e mesmo, ocasionalmente, a morte de um irmão.
Atualmente, a síndrome de Münchhausen por poder não é aceito por muitos profissionais, embora a OMS tenha catalogado como “transtorno artificial” e nos EUA foi reconhecido em 2013.