Curiosidades

O evangelho apócrifo que narra a infância de Jesus Que conta?

O Evangelho da infância de Jesus é chamado também de “o Evangelho da Infância de Tomé”, já que considera-se que foi escrito por Tomé, o Israelita”. Supõe-Se que foi escrito no século II de nossa era, recolhendo histórias orais. Os especialistas acreditam que o autor foi um gentio, já que há muito pouco conhecimento da vida dos judeus da época, em suas páginas. O texto relaciona com o evangelho de Lucas, em sua narração do encontro no templo, quando Jesus tinha 12 anos, para tentar dar veracidade ao que explica, mas sem conseguir. O menino Jesus é refletido em muitas ocasiões, como um ser vingativo e pouco tolerante, muito distante da doutrina cristã.
Fragmento de “Jesus entre os doutores”, Quentin Massys,1509-11. Museu Nacional de Arte Antiga, Lisboa
Este evangelho apócrifo foi escrito, possivelmente, para responder às perguntas dos fiéis sobre os primeiros 30 anos da vida de Jesus, de que tão pouco se sabe. A vida de Jesus criança é descrita usando muitos acontecimentos sobrenaturais entre os que há mortes repentinas, ressurreições de amigos e até mesmo a reposição do pé de um companheiro cortado com um machado. Jesus corrige e dá lições de seus mestres que suspeitam de suas origens sobrenaturais, devido à sua inteligência. Quando se lêem os textos, dá a sensação de que Jesus tem poderes sobrenaturais, mas como é uma criança não os controla.
3 episódios narrados no evangelho aprócrifo sobre a infância de Jesus
1. No primeiro texto, vemos um menino Jesus irritável e vingativo:
“IV – 1.Outra vez, Jesus atravessava a aldeia, e um menino que corria, bateu em suas costas. E Jesus, irritado, disse: Não irá continuar o seu caminho. E, ato seguido, o menino caiu morto. E algumas pessoas, que tinham visto o que aconteceu, se perguntaram: De onde vem esse menino, que cada uma de suas palavras se realiza tão cedo?
2.E os pais do menino morto foram a encontrar a José, e lhe reclamaram, dizendo: Com tal filho não pode habitar conosco na aldeia, onde você deve ensiná-lo a abençoar e não a amaldiçoar, porque mata aos nossos filhos.”
No entanto, José lhe repreende por sua ação:
“V – 1. E José tomou a seu filho à parte, e o repreendeu, dizendo: Por que obras assim? Estas pessoas sofrem, e nos odeiam e nos perseguem…”
Fragmento da obra de Albrecht Dürer, Jesus entre os doutores, 1506. Museu Thyssen-Bornemisza, Madrid
2. No segundo texto que vos propomos como exemplo, Jesus, obra de um milagre de o mais surpreendente:
“IX – 1.Alguns dias depois, Jesus brincando no terraço, sobre o alto de uma casa, e uma das crianças, que brincava com ele, caiu da varanda, e morreu. E, Vendo isso, os outros meninos fugiram, e Jesus ficou sozinho.
2. E, tendo chegado os pais do menino morto, acusaram a Jesus de tê-lo feito cair. (Jesus lhes disse: Eu não fiz tal.) E lançaram invectivas contra ele.
3. Jesus, porém, se jogou do terraço baixo, parou perto do corpo do menino caído, e clamou com grande voz, dizendo: Zenão (porque esse era o seu nome), levanta-te, e dize-me: Sou eu que te fez cair? E, havendo-se levantado, imediatamente, o menino aceitou: Não, Senhor, tu não me fizeste cair, mas que me tens ressuscitado. E os espectadores do lance ficaram emocionados de espanto. E os pais da criança, glorificaram a Deus, pelo milagre cumprido, e adoraram a Jesus.”
3. Este milagre é mais caseiro e muito mais bonito:
“XI – 1.E quando tinha seis anos, sua mãe deu-lhe um cântaro, e o enviou para tomar água, para levá-la para casa. Mas, tendo encontrado a criança com a multidão, o cântaro quebrado.
2. Então Jesus, estendendo o manto que o cobria, encheu de água, e a levou a sua mãe. E sua mãe, reconhecendo tal milagre, abraçou-o, e guardou em seu coração os mistérios que via cumpridos.”
São muitos os relatos de milagres e feitos fantásticos que contém esse evangelho apócrifo sobre a vida de Jesus. Se você quiser lê-lo integralmente, deixamos um link que inclui a redação grega e a latina.
O que vos pareceu este evangelho sobre a infância de Jesus? Credes que realmente não deveria ser incluída entre os canônicos?