Curiosidades

Casos célebres de Estigmas (Parte II)

Alguns casos célebres de estigmas
1. Padre Pio De Pietrelcina
O padre Pio levou os estigmas por mais de 50 anos. Os médicos que o assistiram nunca puderam curar as feridas, que apesar do que se mantiveram abertas através dos anos, ele nunca permaneceu.
Padre Pio De Pietrelcina
Dolorosas feridas apareceram nas mãos, pés, ombros e laterais do padre Pio, diz-se que perdia o aproximado de uma taça de sangue diariamente, além de seu sangue tinha cheiro de flores. Como a fama do pai foi aumentando e cada vez eram mais as pessoas que queriam visitá-lo, a Santa Sé enviou ao padre Agostino Gemelli, respeitado psicólogo, a estudar o padre Pio. A conclusão foi de que se tratava de um surto psicótico e não havia nada de sobrenatural em suas feridas. Esse veredicto foi apoiado pela Santa Sé e até mesmo proibiram as visitas ao padre Pio, que, como consequência esteve isolado por mais de 10 anos.
2. Anne Caterine Emmerich
Anne foi uma freira agostiniana, que desde muito pequena tinha visões e podia ver as almas do purgatório. No ano de 1812, começaram a aparecer os estigmas em seu corpo, os quais se tornavam mais fortes durante o Natal e Ano Novo, mesmo que ela tentava esconder, as feridas se tornavam cada vez mais evidentes.
Anne Caterine Emmerich
Quando apareceram os estigmas de Anne, a Igreja enviou uma comissão episcopal para estudar e determinar se as feridas eram realmente geradas por algo sobrenatural ou se, pelo contrário, eram infligidos, a comissão era integrada por três médicos, um dos quais era protestante, e também o Vigário geral Orvergerg. A investigação que durou mais de três meses determinou que os estigmas de Anne eram autênticos.
3. Santa Rita de Cássia
Santa Rita também é conhecida como “Santa do Impossível”. Rita sempre quis ser freira. No entanto, seus pais a obrigaram a casar-se com Paolo Mancini, com quem teve cerca de gêmeos. Este homem lhe causou muito sofrimento a Rita, mas ela se refugiava em oração e como um milagre conseguiu amolecer seu coração.
Santa Rita de Cássia
Quando seu marido morreu, Rita tentou entrar no convento, mas a rejeitaram já que só aceitavam mulheres virgens. Então, depois de orar incansavelmente três dos seus santos favoritos, São João Batista, Santo Agostinho e São Nicolau de Tolentino, aconteceu o milagre e Rita foi aceita no convento. No ano de 1428, Rita começa a sofrer os estigmas da paixão de Jesus, o mais destacado era o de sua cabeça, semelhante ao da coroa de espinhos. Ela foi a única exceção conhecida até os nossos dias, em que a ferida do estigma gerar um odor fétido e extremamente desagradável, apesar de que as feridas nunca chegaram a infectársele.
Você acredita em sobrenatural? O que você acha sobre esses casos de estigma, se tratarem de casos reais ou de uma simples manipulação?