Curiosidades

A ilha misteriosa que aparece e desaparece: San Borondón

Em Sintonize Ciência se falamos de outras ilhas inquietantes como Sandy Island, a Ilha de Sark, temas que têm muito em comum e que sempre são de nosso interesse, porque o mundo, a natureza, esconde em suas belas entranhas singulares enigmas que nos seguem fazendo sonhar.
Então… Existe ou não existe a ilha de San Borondón? Nós explicamos.
A ilha errante: San Borondón
E onde temos de colocar a ilha de San Borondón? Nas Ilhas Canárias (Espanha), e muito perto da ilha de El Hierro. Há uma clara unanimidade sobre a sua “inexistência”, no entanto, são muitas as pessoas que a viram aparecer e desaparecer ao longo do tempo. É mais, há mesmo quem traz testemunhos gráficos de sua presença (para muitos, claras manipulações). Daí, que, além da ilha errante, o que se conhece também como “a Inacessível”, “Non Trubada” ou “Escondida”.

A lenda de San Borondón aparece em nossa história desde a Grécia Clássica, mas temos documentação sobre ela a partir do século XV. João de Abreu Galindo, por exemplo, colocando-a 10º 10′ de longitude e a 29º 30′ de latitude, e a uma curta distância de Ferro.
Dizia ela que emergia durante alguns dias, e que quando caía o pôr-do-sol em belo horizonte das Ilhas Canárias, San Borondón se difuminaba do horizonte como um suspiro de calma, como a fumaça que escapa por uma janela aberta.

Leonardo Torriani a dibujaría em tempos de Felipe II, mostrando-a para os cartógrafos, com sua forma alongada, com colinas muito suaves. E esta não é a única documentação gráfica que temos dela, porque San Borondón tem sido descrita desde 1367 até 1755, esta última através da carta geográfica de Gautier.
Isto significa que cabe a possibilidade de que esta ilha existe de verdade? A dia de hoje não aparece nos mapas, não existe e ninguém voltou a vê-la desde 1953, quando o diário ABC publicou a notícia de que a “ilha da sereia” tinha feito novamente acto de presença. Não obstante, este não foi o único encontro:
Em 1526 a viram Hernando de Tróia e Francisco Álvarez, vizinhos de Gran Canaria
Em 1570, foi vista pelo regente da Real Audiência de Canárias, um navegador português que chegou a desembarcar em San Borondón, mas teve que deixá-la de forma apressada para os intensos ventos que ali se desataban.
Em 1604, a viram dom Gaspar Perez de Acosta e Frei Lourenço de Pinedo,
Em 1721 foi vista por um navio capitaneado por Gaspar Domínguez.

A dia de hoje não existe também nenhuma teoria clara sobre sua natureza, sobre se é uma pequena ilha vulcânica que sobe e desce a seu gosto, sempre no mesmo ponto, ou se, simplesmente, faz parte do imaginário popular como algo muito querida que gosta de se lembrar de vez em quando e até mesmo de lotação, utilizando a legenda.
Mito ou realidade, a verdade é que para muitos moradores da área, San Borondón é a oitava ilha do arquipélago das canárias. Aquela que gosta de fazer ato de presença, de vez em quando, e desaparecer como um morno e silencioso convidado justo quando cai o pôr-do-sol…
Se você é canário e conhece a lenda, não hesite em deixar-nos seus comentários, opiniões e experiências pessoais. Vamos adorar saber mais coisas! E se em seu país existe uma história semelhante, não deixe de nos informar sobre ela. Enquanto isso, deixamos com uma outra ilha, fabuloso e mágico: Socrotta.