Curiosidades

5 lendas do Caminho de Santiago

Foi um caminho muito movimentado na Idade Média, por ele passaram não só de culturas influências linguísticas vertidas em português, deixadas em hospedarias, pensões e albergues (as palavras em cursiva são de origem provençal e francês), e rivalizou com Jerusalém e Roma, pelo incrível número de fiéis, provenientes de toda a Europa, seguiam o “caminho francês”, ou seja, o que seguiam os peregrinos procedentes de França.
Campus Stellae, Compostela
No ano 821, século IX, se encontraram os supostos restos do apóstolo Santiago, mas não há provas ou análise suficientes até a data fixada para a veracidade disto. Há indícios de que poderia tratar-se dos restos mortais do bispo Prisciliano. Em todo o caso, as origens do culto a Santiago na Galiza permanecem na bruma, e a lenda diz que um eremita chamado Paio ou Pelayo, viu no ano 813 uma estrela que se pousava na floresta depois começaria, correu a dizer ao bispo de Iria Flavia, Teodomiro, e juntos descobriram, no mato profunda da floresta, uma antiga capela romana. E como no final do século VIII existia a lenda de que Tiago, o Mais velho já havia chegado à península ibérica e havia morrido nessas terras, depois de evangelizarlas, chegou-se à conclusão de que esse era o seu túmulo.
Villa Ponte Da Rainha, em Pamplona, é um ponto importante no Caminho de Santiago, por concentrar-se nela os dois caminhos que vêm de França
A partir da primeira metade do século XI começa seu impulso definitivo e logo a notícia se espalha por toda a Europa cristã, atraindo numerosos peregrinos provenientes de todas as partes.
Lendas
Obviamente, este curso através de toda a Europa para chegar à cidade de Santiago de Compostela, criou inúmeras lendas e os contos que compartilhavam os peregrinos nas noites frias ao calor das lareiras de pensões, ou albergues alimentaram o imaginário popular. Além disso, os relatos dos milagres feitos pelo santo, da Virgem Maria ou de outros santos aumentou a devoção a Santiago, e como provêm da tradição oral, mais do que uma versão reclama a autoria dos milagres. Nós trazemos-lhe algumas das mais famosas.
A lenda do milagre do Santo Graal Galego
No início do século XIV, um camponês subia todos os dias para o Cebreiro, o primeiro povo da Galiza no Caminho de Santiago, a partir do próximo Barxamaior para ouvir missa. Um dia em que nevaba abundantemente, um sacerdote celebrava a missa ainda que a igreja estava vazia. Quando o camponês entrou, este monge murmurou: “Pobre homem, com este tempo, vir de tão longe, correndo o risco de morrer no caminho, e só para ajoelhar-se diante de um pouco de pão e vinho”.
Nesse preciso instante, o monge viu a hóstia se transformou em carne e o vinho do cálice, no sangue, e desmaiou de impressão. O fazendeiro correu para auxiliá-lo, mas já estava morto.
Este milagre conheceram os Reis Católicos, que também peregrinaron em 1486, doaram o relicário que até hoje está exposto no cofre, junto ao cálice, na igreja de Santa Maria, para que os fiéis possam contemplarlos.

Os peregrinos alemães deram a conhecer o milagre, e Wagner, que fazia a obra Parsifal.
A lenda do milagre do galo e da galinha
Este milagre aconteceu em La Rioja, em Santo Domingo de la Calzada, no século XIV. Um jovem alemão chamado Hugonell, peregrina rumo a Compostela, acompanhado de seus pais. Na estalagem onde se hospedam, a menina que os atende é debruça-se dele e lhe declara, mas Hugonell se recusa. A menina, na natureza, guarda na carteira do jovem uma taça de prata e o acusa de roubo.
Ao dispor-se a seguir a peregrinação chega a justiça e comprovam a acusação gravando o clip do chico, você declara culpado e o condenam à forca. Os pais, desesperados, não podem fazer nada por ele, e lhe rezam a Santiago.
Ao despedir-se do corpo inerte de seu filho, ouvem a sua voz dizendo que está vivo pela graça do santo, e felizes vão comunicá-lo ao corregedor, que nesse momento está jantando aves. Ele tira sarro da notícia e diz a conhecida frase: “o Vosso filho está tão vivo como este galo e esta galinha que me dispunha a comer antes que me importunarais”, e nesse momento as aves saltaram do prato e cacarearon alegremente.
Aqui nasceu o dito popular: “Em Santo Domingo de la Calzada, onde cantou a galinha depois de assada”. É bastante semelhante à lenda do galo de Barcelos e provavelmente tenham uma origem comum.
A lenda da fonte Renega
Acontece no Alto do Perdão, a poucos quilômetros de Pamplona. Um peregrino, morto de sede, chega ao cume. O diabo, que andava por ali, é-lhe sobre disfarçado de andarilho para indicar uma fonte oculta de onde se pode matar a sua sede, a condição de denunciar a sua escolha religiosa de Deus, de Santiago ou a Virgem.

O peregrino, mas está exausto, quase moribundo, mantém sua fé e resiste a todas as tentações. Então aparece Santiago vestido de peregrino, afasta o demônio e leva o pobre homem à fonte oculta, dando-lhe de beber com seu vieira.
A lenda de Obanos
Esta lenda tem sua origem em espanha, em Obanos. Certa nobre, chamada Felícia de Aquitânia, fez a peregrinação a Compostela, e, ao retornar, renuncia a sua vida aristocrática e decide ficar em Amocaín para cuidar dos pobres. Seu irmão, o duque Guilherme, furioso com a decisão de sua irmã, vai procurá-la e perante a recusa desta, e, cego de raiva, então.
Arrependido, confessa seu crime em Roma, onde lhe impõe a penitência de peregrinar a Santiago. Em seu retorno, também renuncia a sua vida mundana e fica em Obanos como penitente, junto à ermida da Virgem, no monte Arnótegui.

Anos mais tarde é nomeado o san Guillermo e municípios será dedicada a ele. Esta lenda geralmente escenificarse na praça do povo, na segunda quinzena de agosto.
A lenda de Estella
No século XI costumavam reunir-se os pastores com suas ovelhas nas encostas do monte Puy. Um bom dia viram que em cima caíam montões de estrelas, correram para ver e encontraram uma caverna, e dentro de uma imagem da Virgem. Avisaram a paróquia, e quando o sacerdote, e outros homens quiseram tirar a imagem, descobriram que não podiam nem movê-la. Decidiram que a Virgem queria ficar ali e levantaram um santuário no local da ocorrência. O rei Sancho i, em 1085, decidiu fundar ali uma cidade, Estella.
O que te pareceu estas lendas? Alguma vez você já andou pela “Via láctea”, ou tem planos de fazê-lo em algum momento? São interessantes estas histórias, e se você souber de outras compartilhe-as conosco. Nós convidamos você para que, enquanto quer ler outro tipo de lendas, como as egípcias, a do faraó Esnofru e a jóia perdida.