Curiosidades

5 grandes pandemias da antiguidade Terríveis!

Uma pandemia é o acometimento de uma doença infecciosa dos seres humanos que ocorre em uma extensa área geográfica. Atualmente, a OMS está alerta para as possíveis pandemias e trata de colocar remédio. Na história humana se têm registado epidemias que dizimaram a população por não ter a seu alcance os conhecimentos médicos necessários. Conheça estes 5 grandes pandemias da antiguidade, o terrível!
5 grandes pandemias da antiguidade, o terrível!
1. Praga de Atenas
Aconteceu no ano de 430 a. C., afetou principalmente a região de Atenas, que estava mergulhada na segunda guerra do Peloponeso. Possivelmente se tratasse de uma febre tifóide. Afetou em maior ou menor medida em todo o Mediterrâneo oriental e Tucídides descreve-o como veio de Etiópia, passando pelo Egito e na Líbia. A guerra contra os espartanos e seus aliados, fez com que se refugiase em Atenas um grande número de pessoas, o que contribuiu para o contágio da doença.

Os espartanos que sitiaban Atenas, ao ver as enormes piras funerárias, se retiraram por medo de contrair a doença. Acredita-Se que pereceu 1/3 da população que se concentrava na cidade. Posteriormente deram mais surtos da temida “praga”.
2. Peste antonina (165 a. C.)
Outra das grandes pandemias da história foi a chamada peste antonina. As tropas voltavam a Roma do Oriente Próximo trouxeram esta “peste”. Na verdade, tratava-se possivelmente de varíola ou o sarampo. Estendeu-Se por todo o Império Romano e foi descrita por Galeno. Em Roma, chegou a matar mais de 2.000 pessoas por dia. Calcula-Se que, no total, morreram cerca de 5 milhões de pessoas.
3. Praga de Justiniano
Tratava-Se, na verdade, a peste bubônica e é o primeiro surto registrado na história. Aconteceu em 541 e a partir de então foi recorrente em muitos portos do Mediterraneo. Afetou especialmente o Império Bizantino, a cidade de Constantinopla chegaram a falecer 10.000 pessoas por dia. Acabou com 40% dos habitantes da capital e com 1/4 da população do Mediterraneo Oriental.

4. Peste negra
Após quase 800 anos sem voltar a aparecer, a peste bubônica, conhecida como peste negra, que devastou o continente europeu. Começou na Ásia e entre os anos de 1346 e 1361 teve o seu pico, mas durante todo o século XIV acabou praticamente com um terço da população.

Acreditava-Se que poderiam ter morrido mais de 20 milhões de pessoas, mas, segundo os estudos de Diane Zahler, pôde matar entre 50 e 80 milhões de seres humanos.
5. Epidemia de Varíola no Novo Mundo
A partir do descobrimento e a conquista do Novo Mundo, se espalharam por todo o continente inúmeras doenças desconhecidas até então pelos seus habitantes, causando uma catástrofe demográfica. Uma das piores pandemias foi a da varíola, que começou em 1518, afectando principalmente o Caribe, México e América central. No México terminou com 50% da população. Embora se cruzam figuras diversas, as doenças que levaram os europeus, acredita-se que passou de 25 para 1’6 milhões para os habitantes daquela região.