Curiosidades

3 Tragédias históricas de que ignoraram os avisos

É muito fácil olhar para trás e ver que, em muitas ocasiões, houve sinais de alarme antes de grandes desastres que ninguém fez caso. O difícil é prestar atenção a esses sinais antes que a situação seja irreversível. 3 Tragédias históricas de que ignoraram os avisos e muita gente não sabia que as houve.
Avisos de Tragédias históricas
1. O afundamento do Lusitânia
O Lusitânia era um navio de linha britânico torpedeou e afundado por um submarino alemão em 7 de maio de 1915, junto à costa irlandesa, durante a Primeira Guerra Mundial. Morreram 1.195 pessoas. As advertências que poderiam ter evitado a tragédia foram, por um lado, os próprios avisos do governo alemão, que no The New York Times anunciou que considerava qualquer navio com bandeira inimiga de um objetivo. Até o dia em que partiu, os alemães haviam se a publicar o anúncio, na mesma página em que o jornal fazia-se eco da posição do navio em sua viagem de volta à Inglaterra, em Nova York.

Também o governo britânico tinha avisado ao capitão do Lusitânia do perigo que representava a navegação próxima à costa do país. Os submarinos alemães não deixam de vigiar a área. Ele disse ao capitão que devia navegar em zig-zag e a toda a velocidade. O público o capitão não fez caso, navegava muito próximo da costa, em linha reta e diminuiu a velocidade com o que o converteu ao Lusitânia, um barco de grandes dimensões, de um branco perfeito.
2. Desastre do Challenger de 1986
Muitos de nós nos lembramos da explosão do ônibus espacial Challenger, em 28 de janeiro de 1986. Milhões de pessoas viram a explosão em directo. A causa foi o gelo que se formou nas juntas tóricas que se usavam para separar a transferência dos foguetes.

Bob Ebeling, que era engenheiro da empresa Morton Thiokol que trabalhava para a NASA, junto com mais 4 colegas tentaram impedir o lançamento do Challenger naquele dia. Advertiu que o tempo estava demasiado frio para assegurar o bom funcionamento das juntas de vedação e que, se a vedação não era correto poderia ocorrer uma explosão. Pediram encarecidamente que se retrasase o lançamento até que o tempo melhorasse. Em um primeiro momento se fez caso seu aviso e atrasou o lançamento, mas, finalmente, por diversas pressões, já que levavam um atraso de 6 dias, o ônibus partiu. Explodiu 73 segundos de ter saído da base, matando 7 pessoas.
3. Terremoto e tsunami de 2004
Após o terremoto e o posterior tsunami, ocorrido no dia 26 de dezembro de 2004, o balanço de vítimas fatais foi de mais de 230.000 pessoas. É um dos piores desastres naturais da história da humanidade. Desde que aconteceu tem-se ouvido muitas vozes reclamando que não fez caso das advertências e que se tivessem tido em conta os terríveis resultados se tivessem minimizado.

As primeiras advertências partiram sete anos antes de um alto funcionário tailandês que começou uma campanha contra o temor de que o país fosse atingido por um gigantesco tsunami. Ninguém lhe fez caso. O tildaron de louco e de ameaça para o turismo apartándolo do governo. Após o terremoto, o Sistema de Alerta de Tsunami que funciona no Oceano Pacífico advertiu os governos de vários países da Ásia do perigo de tsunami. Alguns ignoraram os avisos por completo e outros não estavam convenientemente avisando aos moradores das zonas costeiras para não criar alarme. Na Indonésia, onde o mar se retirou centenas de metros, em vez de tomar isso como um alerta, muitos se dedicaram a recolher o peixe encalhado e a olhar. Se alguém tivesse transmitido os avisos do Sistema de Alerta de Tsunami, certamente, se tivessem podido salvar milhares de vidas.
Muitas vezes, por incúria ou por interesses econômicos se ignoram as advertências e depois já não há remédio para as aflições, como aconteceu com essas três tragédias históricas. Você conhece mais fatos semelhantes? Se você tem interesse neste artigo, talvez você queira ler:
–O naufrágio do navio Príncipe das Astúrias, o rei bruxo espanhol