Curiosidades

3 mapas antigos muito MISTERIOSOS

Na sociedade de nossos dias, o conceito de mapa vai intimamente ligado às novas tecnologias, os equipamentos e o Google Maps, sendo este último uma espécie de janela mágica através da qual podemos descobrir o mundo. Algo que, por moderno que nos possa parecer, de novo só tem o formato e mas olha esses mapas antigos, mas são uma incrível janela mágica com a descobrir o passado.
3 mapas antigos muito MISTERIOSOS
O mapa de rocha de Vasagard
Assim o mostra este misterioso fragmento de um mapa encontrado no interior do Templo Megalítico de Vasagard. Trata-Se de uma gravura de há quase 5000 anos, que de acordo com os pesquisadores do Museu Nacional da Dinamarca poderia representar detalhes topográficos de uma parte da paisagem da ilha, como campos de espigas ou algo semelhante, esculpida em um pedaço de rocha que apresenta indícios de ser completada com outra peça que, pelo momento, não foi encontrada e se pensa que poderiam ter sido usadas em algum tipo de ritual pré-histórico.
O mapa de Molí de Salt
Mas não precisamos ir tão longe para encontrar misteriosos mapas do passado, como bem o demonstram os pesquisadores, Marcos Garcia e Manuel Vaqueiro, responsáveis pela análise da peça achada no sítio de Molí do Salt, em Tarragona, durante escavações no final do ano passado. O objeto encontrado é uma placa de xisto em que se representava uma espécie de plano de um povoado composto por sete camadas, que segundo a análise foram incisas com o mesmo instrumento e pelo mesmo autor, mas o mais surpreendente é de quando data o mapa, que segundo os estudos pertence ao Paleolítico Superior, há cerca de 13.000 ou 14.000 anos de idade.

O mapa astrológico, o mais antigo do mundo
Também o céu tem sido objecto de mapación desde a antiguidade, como bem o demonstra esta carta astrológica descoberta, em 1983, no interior de uma câmara funerária em Ausaka, uma cidade da província de Nara, no Japão. O Túmulo Kitora, como é conhecida, foi construída durante os séculos VII e VIII, para dar sepultura a um aristocrata do reinado do Imperador Tenmu. O pequeno panteão, de 1 metro de altura por 2.4 longo, está perfeitamente alinhado com os quatro pontos cardeais indicados com seus respectivos símbolos: Tartaruga Negra do Norte, o Dragão Azul do Leste, o Pássaro Vermelho do Sul e o Tigre Branco do Ocidente. Enquanto no teto do túmulo, encontramos um mural astrológico composto por uma série de círculos concêntricos, que se sobrepõem em alguns pontos, entre os que se vão posicionando as constelações, representadas por pequenos discos de folhas de ouro. Nesta composição, não faltam também os elementos mitológicos e os signos do zodíaco. Todos estes cuidados detalhe não passou despercebido pela comunidade científica, que desde o seu descobrimento até a data continua estudando o mistério deste antigo e misterioso mapa.
Com qual deles você vai ficar?
Caso você se interesse, estes mistérios da antiguidade, recomendamos:
– A misteriosa janela que esconde onde está a Arca escondida pelos templários
– O livro mais enigmático da história: o manuscrito Voynich