Curiosidades

3 Incríveis Códices Maias O Descúbrelos!

Um códice seria qualquer livro formado por cadernos dobrados que foram costurados e encadernados e em que se pode escrever em ambas as faces, cada uma das quais se chama página. No entanto, o termo grego é usado em praticamente exclusiva para designar aqueles livros escritos à mão e anteriores à invenção da imprensa. Designa também a todos aqueles documentos feitos pelos indígenas mesoamericanos antes da chegada de Colombo, e na Colônia. Em Sintonize Ciência interessamo-nos por 3 Códices astecas, e, nesta ocasião, queremos aproximar-se de 3 Incríveis Códices Maias.
3 Códices Maias
Os Códices, por comodidade, tomam o nome da cidade onde se localizam, mas costumam ter também outras denominações.
1. Códice de Madrid ou Códice Tro-Cortesiano
Este manuscrito, que se conserva no Museu Arqueológico de Madrid tem um comprimento de 6,8 metros e uma largura de 23 cm No total inclui 112 páginas, algumas delas muito desgastadas. Acredita-Se que o manuscrito é uma reescrita de um código anterior, do século XIII ao XV, já que nas primeiras páginas incluem inscrições em português.

É o códice maia mais longo dos que chegaram até nossos dias. Contém almanaques astrológicos e tabelas astronômicas, constituindo uma espécie de manual para os sacerdotes, já que indica os dias em que há que fazer sacrifícios e como realizar os rituais. Entre estes rituais encontramos sacrifícios humanos ou relacionados com atividades diárias, como agricultura ou caça.
2. Códice Dresden
Acredita-Se que foi escrito entre os séculos XI e XII, sendo uma cópia de um possivelmente 300 ou 400 anos anterior. É o códice maia mais antigo que se conserva. Mede 3’56 m. e contém 39 folhas. O papel é feito com casca de árvore. Durante o Bombardeio de Dresden em 1945, o manuscrito ficou muito danificado.

Contém tabelas astronômicas extremamente precisas, tabelas de eclipses lunares e descrição de vários rituais, entre eles os dedicados aos deuses da chuva. Uma das coisas mais curiosas que foram descriptografia é a previsão da destruição do mundo por um dilúvio, e para os maias, isso não seria a primeira vez que acontece, já que o mundo existente teria sido precedido por outros três anteriores.
3. Códice Paris
Também é conhecido como “Código da Silva”, já que foi encontrado em 1859, dentro de um envelope em que se mencionava que havia pertencido a um tal Pio Perez, que o doou. Foi descoberto, a ponto de ser destruído,em um cesto de lixo, ao lado de uma lareira da Biblioteca Nacional de Paris.

Apenas se conservam 12 folhas. Mede 1’43 metros de comprimento por 13 cm Umas páginas são escritas da esquerda para a direita e outra da direita para a esquerda. Contém no lado externo profecias, rituais religiosos e ilustrações de divindades e no interno de um calendário para a 364 dias com os signos do zodíaco e rituais para o Ano Novo.
Se você se interessou este post sobre códices maias, talvez você queira conhecer outros manuscritos famosos:
–O livro mais enigmático da história: o manuscrito Voynich