iPad Mini, análise

Motorola ZN5, análise
07/10/2017

Muitos dudábamos de que a Apple fosse a realizar este movimento, mas o iPad Mini é uma realidade. Saiu na passada sexta-feira à venda em Portugal e a recepção tem sido muito positivo.

Como queremos que estejais vós também perfeitamente informados sobre o papel que o iPad mini vem a exercer no mercado, deixamos-vos com o teste completo do iPad mini no Atendimento.

iPad Mini, a análise em vídeo

Como fazemos com os gadgets chave do mercado e que precisam ser observados de perto, começamos a testar a fundo do iPad Mini com a sua análise em vídeo:

Projeto

Com excelente acabamento e construção do iPad Mini, a Apple voltou a deixar em evidência os outros fabricantes e mandado um sinal para os consumidores: fazer um tablet menor e mais barato, não tem por que implicar perder qualidade nem deixar de lado o acabamento de um excelente produto.

E olho, que eu não estou dizendo que o Nexus 7 ou o amazon Kindle Fire HD, ambos já testados. (análise do Kindle Fire HD e análise do Nexus 7), são produtos de baixa qualidade, muito pelo contrário, mas aqui chegou Apple para deixar claro que eles voltam a estar um nível acima neste apartado de seus gadgets. Com o iPhone 5 e seus detalhes, já o deixaram bastante claro.

Pessoalmente, teria preferido um acabamento mais áspero na parte traseira para melhorar a aderência. A boa notícia é que essa função pode fazer muito bem a SmartCover.

Do iPad Mini surpreende o fino e leve que é (7 mm e cerca de 300 gramas). Ao olhá-lo um tem mais a ideia de um smartphone eventos promos parceiros que de um tablet de 10 polegadas reduzido. Pessoalmente, me lembrou mais um Note da Samsung, maior do que a de um iPad mais pequeno.

O resultado é que o iPad Mini, como os outros tablets de 7 polegadas sob o Android, tem um formato perfeito para consumir conteúdo e jogar.

iPad 4, iPad Mini e iPhone em família

Já não será tão simples de criar conteúdo, especialmente quando falamos de usar o teclado, tanto externos que já não encaixam no projeto mais reduzido, como, especialmente, no que é mostrado na tela.

Voltando a algo mais técnico, toca falar da situação dos botões físicos e conexões. Este iPad Mini já conta com conector Lighting, e o resto de botões e conectores estão na mesma situação que a de seu irmão mais velho. Apenas você vai notar que o botão Home é mais pequeno que os outros computadores que usam Apple.

Tela

Um fator importante do iPad Mini é de que, apesar de manter o tamanho físico da tela atinge 7,9 polegadas e com formato 4:3, e essa é uma diferença que há que admitir que se nota. Exceto em reprodução de multimídias.

A Apple conseguiu, reduzindo ao máximo o quadro ao redor da tela. O Nexus 7 ou o amazon Kindle Fire HD não apostaram por essa redução para favorecer um tablet deste tipo se ele pudesse pegar com uma mão em formato vertical, sem problema.

O formato que optou Apple deu-lhe a razão, e, de facto, graças a que o sistema ignore o dedo que mais do que provavelmente você tenha sobre uma área sensível ao pegá-lo, não é nada estranho nem nos deu lidar com erros, desta forma, o iPad Mini.

O painel que a Apple tem colocado em seu iPad Mini é um IPS cuja resolução é de 1024 x 768 pixels, o que nos dá uma densidade de 163 ppp. Há apenas um ano pode ter sido uma decisão perfeitamente válida, mas com equipamentos Android de 7 polegadas com maior resolução, este formato me tem decepcionado a não aposta numa maior resolução.

A diferença não pode notes se não tiver um tablet antes, mas se você já jogou com os modelos da Amazon ou o Nexus 7, ou se já possui um iPad de terceira geração em diante (ou mesmo um iPhone), não é algo que se tivesse escolhido: voltar atrás em densidade de pixels. É muito fácil se acostumar com o bem.

Um iPad Mini com uma idéia tão clara como referência para consumir conteúdo não entendemos que não saia diretamente com tela Retina. Aqui é provável que tenha pesado antes de seu posicionamento como um equipamento importante também no mercado de tablets mais viajantes e confortáveis de usar em casa, na cama, para leitura e visionamento de vídeos, que o produto redondo e completo que poderia ter saído.

Assim que, se alguém me pergunta diretamente o que é pior do iPad Mini, tenho claro que eu responderei que poucas vezes um produto Apple sabe-se que melhorará em um curto período de tempo. Estou convencido de que a Apple apresentará ao mercado o iPad Mini, que teria que ter saído agora em menos de um ano. Até diria que em menos de seis meses.

Esta falta de nitidez devido à baixa resolução se faz notar especialmente com o texto, seja de ícones, páginas web ou e-books, e repito, esse é um uso comum para o iPad Mini, por isso que essa menor densidade de pixels não a entendo.

É verdade que o formato é incrivelmente confortável para levar de um lado para outro e até mesmo para ficar em casa (especialmente quando temos que apoiar o time com apenas uma mão), mas queremos mais resolução Apple.

Desempenho, bateria e câmeras

A estas alturas falar de desempenho em um tablet, se estamos nos referindo a um modelo de última geração não tem muito sentido. Ou ao menos não há que esperar surpresas negativas.

Os sistemas operacionais vão já mais afinados e o hardware, salvo contadas exceções, acompanha. No caso do iPad Mini, seu interior é exatamente o mesmo que o do iPad 2, ou seja, processador A5 da Apple e 512 MB de memória RAM. O resultado é que, em nenhum momento, você irá descobrir que lhe falta, processador ou memória RAM graças, em parte, para que a tela é conteúdo em densidade de pixels …. a não ser que o compare com o desempenho do iPad de quarta geração com sua A6 e 1 GB de memória RAM.

Em relação à conectividade, a Apple deu a este iPad Mini wi-fi n, com dupla banda LTE (de acordo com mercados) e bluetooth 4.0. Nada de NFC ainda. Atualmente só está à venda o modelo wi-fi.

Quanto à bateria, como é habitual na Apple, os dados que facilita a modo de orientação se parecem muito com os obtidos no teste de campo. A marca de Cupertino coloca sobre o papel de dez horas, e não é complicado chegar a elas. De fato, se você não dá um uso continuado, a sensação de que a bateria é inesgotável está muito presente.

Pela parte que toca a câmera de fotos, sendo um tablet, o iPad Mini pode começar a ter um pouco mais de sentido. Por isso, se agradece que o resultado seja bom, por isso não temas por fazer fotos com o iPad Mini, além de parecer um pouco ridículo. A vantagem é que você pode editar essas imagens com facilidade e potência no seu computador.

O ecossistema, a grande vantagem da Apple

Preço mais alto, resolução mais baixa … mas eu continuo pensando que o iPad Mini é a melhor opção, em geral, para um tablet com este formato de entre 7 e 8 polegadas. Se você não estiver à procura de um sistema operacional concreto claro.

Além do melhor aproveitamento do espaço físico para mostrar o conteúdo da tela que não seja o vídeo, a linha de separação da marca o ecossistema. Pode ser já entediado falar desta diferença que os valores de aplicativos vão igualando – esse argumento eu admito móvel – mas no tablet a diferença ainda é muito grande.

Já não é questão de falar de quantidade de aplicativos, mas de qualidade. Um tablet precisa aplicações pensadas para serem usadas em tablets. E aí iOS ganha de rua.

A esperança para Android é que equipamentos como o Nexus 7 ou o recente Nexus 10 se tornem importantes e as empresas pensem que realmente têm que ser importantes nesse formato. Então voltaremos a falar. E espero que seja em breve.

Exceto para a característica específica para apoiar um dedo ao segurar o tablet não é considerado como um toque na tela, o iOS tem a funcionalidade plena no iPad Mini. Lidar com isso é uma experiência tão satisfatória, mas com as limitações de tamanho mais reduzido e a falta de densidade de pixels.

iPad Mini, a opinião de Atendimento

A Apple já tem o seu tablet de pequeno formato e preço … à sua maneira. Não foi pregado das sete polegadas que pareciam quase um padrão já nem tem reduzido o preço dos limites de seus concorrentes.

Tem andado o seu caminho para ganhar um tablet que marca diferenças no acabamento, fator de forma e ecossistema, mas que se ficou a meias na resolução da tela. E, de modo geral, isso não seria um problema real, mas fora porque sabemos que mais cedo ou mais tarde, a Apple deve apresentar iPad Mini com tela Retina.

Mas enquanto chega, os de Cupertino colocaram um modelo tentador no mercado, que vem a demonstrar que não querem segmento interessante fora de seu alcance. Neste caso, o dos conteúdos, aplicações e jogos – atento, pois pode ser a chave para este iPad Mini é muito suculento.

Isso sim, ao seu ritmo e com as suas regras. Mas isso já o sabia antes de ler esta análise no Atendimento.

O tablet foi cedido para a prova por parte da Apple Brasil. Pode consultar a nossa política de relações com empresas